quarta-feira, 28 de maio de 2014

Desenhando


Fonte: Google

Pegarei lápis e papel
Vou traçar linhas lentamente
Deixar a imaginação escorregar do coração para as mãos

Desenhando o que aparecerá:
Primeiro nasce seu sorriso
Segundo o seu semblante
Terceiro seus olhos expressivos

Cabelos que eu possa deslizar minhas mãos
Ombros que eu possa deitar minha cabeça
Braços que possam me abrigar
Mãos que eu possa tocar

Pernas que possam me alcançar
Pés que caminhem em minha direção
Corpo inteiro que me abrigue

Você está todo ali
Quase saindo do papel
Quase me tirando para dançar

É possível ver o colorido de seus olhos
Juntos gargalhando por qualquer bobagem
Apreciando canções
Conhecendo lugares

É possível te ver caminhando ao meu lado
Entusiasmado com os dias de sol
Pensativo nos dias de chuva
Algumas vezes comunicativo
Outros um tanto calado

Te enxergo
Te sinto mais próximo
Então a vida parece mais fácil
E tudo parece ter um significado ou sentido

O céu lá fora está azul
O sol nos convida para sair
E eu continuo caminhando para algum lugar

Hoje enxergo a vida
de uma forma diferente do que antes
Um sorriso invadiu meus lábios e meu olhar
Imagino que possa ser você saindo do papel
E por acaso aterrissando em minha vida.

terça-feira, 13 de maio de 2014

Relacionar as relações


Fonte: Google

O assunto sobre relações sempre me atraiu, gosto de falar sobre isso e por vezes me perco conjecturando com minha própria consciência. Relacionar-se é uma grande aventura, realmente não é nova essa minha observação, mas eu o penso assim. Você une universos completamente diferentes, pessoas com ideais e ideias distintas, sentimentos e maneiras de enfrentar situações diversas.

O fato é que não há quem não deixe algo impresso na gente ou que a gente não acabe deixando alguma mania gravada em alguém. Com algumas pessoas você aprenderá ser mais contido, com outras irá aprender a ser mais solto; a outro você vai acabar entregando que o sucesso é que ele se mantenha calmo diante de certas coisas que, em sua experiência particular, você já compreendeu que deve se ter mais calmo e menos ansioso.

Quando esbarramos em alguém, quando deixamos que alguém entre em nossa vida a dinâmica é variada: com algumas pessoas é como encaixarmos os lados daquele cubo de Rubik (famoso cubo mágico) que foi ícone na década oitenta, simples assim e instantaneamente e, com outras pessoas, certas vezes não encontramos as cores correspondentes. 

Sermos perfeitos e iguais não é premissa para uma amizade. Aliás, é na diversidade que nos completamos. Não escolhemos amigos pela cor da pele ou cabelos, pela beleza ou modos perfeitos, na verdade amizade a gente conquista e é conquistado ou surpreendido positivamente. Alguns momentos a conquista é forte e rápida e em outro suave, leve, daquelas que cresce lentamente transformando-se em algo muito sólido.

Não há receita exata para que as mesmas pessoas que hoje se reconhecem como amigos se mantenham assim, é verdade que com a ação do tempo ou atitudes algumas amizades se deterioram e morrem por diversos fatores. Acho realmente triste quando isso ocorre. O bom mesmo é quando os sentimentos duram, permanecem, revivem, se fazem vivos e latentes dentro da gente e, claro, quando a recíproca é verdadeira.

Chamem-me de tola, sou uma garota das antigas! Acredito no ser humano e nas pessoas que me rodeiam. O universo anda muito frágil e carente de pessoas que se amem realmente, além do amor “carnal”, um amor simplesmente fraternal. Claro, amar ao próximo é bem complicado, mas isso já é outra discussão. 

À medida que vamos crescendo não temos mais “melhores amigos”, porque na verdade aqueles que a gente cativa ou carrega em nossos dias cada um deles possui algo que nos preenche. Então são “Marias”, “Joanas”, “Josés”, “Lus”, “Mis”, "Cris" entre tantos que convivem com você que tem e terão um papel importante em sua caminhada...depende de você (e deles também)! Outro dia, em um bate-papo agradável, eu ouvi algo muito interessante de uma amiga que entre tantas coisas me disse: “às vezes devemos avaliar e relevar certas atitudes (compreender as limitações e o jeito do outro) para não sair perdendo pelo caminho as boas amizades que construímos/conquistamos...”. “Yes, my friend. I agree!”.