terça-feira, 25 de junho de 2013

Caminhos abertos



Imagem: Luana Santos


Estrada longa esta
Cada passo dado com muito cuidado
Uma espera sem fim

Estrada cheia de desafios
Repleta de chegadas
Encontros e desencontros

A cada desencontro o peito parece que não irá mais aguentar
Uma parte dele se dilacera
Parece que nunca mais irá bater como antigamente

Eis que a vida responde
A mesma estrada que parece repleta de pedregulhos
floresce e se renova

São dias de frescor juvenil
Andar por aí em ruas desconhecidas
Ver rostos nunca vistos
Lembrar que estamos vivos

Todos os dias diversos acontecimentos
A vida parece correr vertiginosamente
Estamos em uma montanha russa de emoções
Não há para onde fugir, só temos que encarar

A estrada se alonga ainda mais
E tudo parece mais claro
Em que o mais certo é viver simplesmente
Sem angústias, sem esperas
Pois a vida não espera...

Reencontro-me aqui nesta estrada
Percorrida tantas vezes com companhias inesperadas
Com mãos dadas por medo de me perder
Com mãos vazias e ainda assim me sentindo perdida

Reencontro-me com passos firmes
Com mais poesia e outras canções
Reconheço-me apesar de todos os tropeços dados
Apesar de tudo almejado ou dedicado que não obtive retorno
A estrada é a mesma...
Agora mais leve...
Agora mais minha...