segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

O clube dos solitários

Imagem: Google

Não é tristeza, mas sim solidão
Estamos sozinhos em todas as tarde de verão
Há quanto tempo?
Por quanto mais?

Não são todos os dias iguais
Nem sempre ela vem
Onde estão as nossas companhias?
Para onde todos foram a essa hora?

Olho pela janela em uma noite quente
Até mesmo lá fora não há ninguém
Todos os finais se semana são iguais
E assola a mesma pergunta: onde foi parar você?
Sinceramente desejo sua companhia

Ser forte constantemente
Acreditar em um amanhã
Sorrir apesar de tudo
Ter amigos e no final das contas ser apenas eu

Pertencemos a algum clube?
Por que as pessoas ainda não chegaram?
Existe alguém que possa me ouvir?
Alguém ainda poderá me compreender?

Olho para o teto
Imagino que estou em outro lugar
Há um céu azul, o barulho do mar
Uma brisa sem igual
Contemplamos o final da tarde

Não sou mais um
Não estou mais entre paredes, me vejo ao ar livre
Qualquer tristeza passa em um instante
Como mágica
Continuo em minha individualidade, mas você está lá

E já não importa mais se as pessoas nos esqueceram
Se estão todas em seus clubes ou suas tribos
Estaremos aqui sentados lado a lado
Na primavera, verão, outono ou inverno

Foi-se mais um dia
Acabei adormecendo deitada ao chão
Abraçada e embalada pela solidão
Sonhei com dias coloridos
Diferente de todos que nos perseguem ultimamente
Antes de se despedir a solidão sussurrou em meu ouvido:
“Tenha fé, aguente firme, lágrimas não são eternas.